OS ANTIGOS HABITANTES DE CAMPINA GRANDE, INDIOS CARIRIS






Riacho das Quengas – Joilson Assis 09



ATENÇÃO !

Para aumentar as letras deste livro basta segurar a tecla ( CTRL )do seu computador e mexer com o rotor( botão rotativo ) de seu mause e todo o texto se ampliará. Você poderá usar a tecla ( ctrl ) e clicar na tecla ( + ) desta forma as letras serão ampliadas . Experimente ! As letras ficarão do tamanho que você desejar.


OS ANTIGOS HABITANTES DE CAMPINA GRANDE, PARAIBA





Breve comentário Histórico acerca de campina grande e seus antigos habitantes.

Habitava a 120 km do litoral da província da Parahyba, desmembrada da província de um povo bravo e misterioso chamado de Dezebucuá Cariris, os índios cariris. O mistério deste povo era grande, pois não há relatos de sua origem nem a forma de civilização que tinham. Eles não eram Tupys nem falava a referida língua dos Tupys, nem o Guarani que era comum as tribos existentes no sudoeste do País. Há vestígios que os índios Cariris moraram nas margens do rio São Francisco por muito tempo e sem motivos conhecidos resolveram habitar acima do Rio Paraíba e nas planícies chamada planalto dos Borboremas aonde hoje se encontra a bela cidade de Campina Grande. De onde vieram e quem eram eles? É uma pergunta que todos os historiadores se fazem. O que na realidade sabemos que os Dezebucuás Carirís era uma nação indígena diferente das demais da região que se concentravam na região do planalto da Borborema com pequenos grupos espalhados pela referida província como Cabedelo João Pessoa e Cabaceiras aonde eram chamados Cariris velhos. Tal povo era numeroso em demasia da terra do Bodopitá até o Riacho de Bodocongó. (De Fagundes a São José da mata hoje.) Devido a nação dezebucuá ser

















Riacho das quengas – Joilson Assis 10
RESUMO HISTÓRICO DE CAMPINA GRANDE
INDIOS CARIRIS.


Numerosa e disposta a lutar pelo seu território, toda região dos Bodós (Nome dos índios Cariris) ficou intacta por 150 anos desde da descoberta. No caso dos Cariris o inimigo passou a morar de lado deles. Os portugueses em Fagundes, Cabaceiras, e boa vista aliando se aos Tarairus que tinham uma leve rivalidade com os Tapúias Cariris. O ataque seria apenas uma questão de tempo, até os portugueses se firmarem na terra e reunir forças para um ataque fulminante. Em Cabaceiras houve forte aliança entre os “Cariris velhos” com os portugueses da família Oliveira Ledo. Constantino de Oliveira Ledo, Antonio de Oliveira Ledo seu irmão por fim o seu neto Teodósio de Oliveira Ledo. Antonio era casado com Isabel Pereira de Almeida e as investidas de sua família para conter a revolta dos Tapuias os tornaram famosos e cheios de títulos. A confederação dos Bárbaros que durou cerca de quatro anos, 1688 a 1692 foram retidas por esta família principalmente por Clementino com a ajuda do sertanista Domingo Jorge Velho que, enquanto esteve na região dos Bodós (Pseudônimo dos Cariris) ajudou na batalha com os mesmos apesar de não haver relatos oficiais acerca deste assunto.
Com o enfraquecimento das forças dos Bodós a família Oliveira Ledo através da liderança de seu mais novo guerreiro Sanguinário Teodósio que foi constituído Capitão mor dos Cariris, investe na conquista da terra que ia do riacho da Bodo-

Congó até as terras de Bodopitá. Acredito que a palavra bodopitá designava toda planície de Campina Grande e não somente a região de Fagundes. Tanto o nome de bodocongó e bodopitá atribuo a índios conhecidos da época pois o nome bodó era o nome para designar índio e o sufixo determinava o individuo. Sendo assim bodó-pitá era o índio pitá e bodó-congó era o índio congó. Porem existe outras versões que podem ser igualmente consideradas. Teodósio de Oliveira Ledo investiu fortemente contra os índios Cariris com a ajuda dos Tarairus que moravam a leste da região de boa vista fundadas por ele. Várias tentativas foram feitas e muitos combates se travaram sem o sucesso almejado. Tudo indica que a região onde fica hoje o açude de Bodocongó tenha sido palco de grandes batalhas enterradas pelo tempo. A fazenda ramada onde hoje fica o bairro da ramadinha tenha recebido centenas de litros de sangue vindos dos combatentes incansáveis que cada vez mais se armavam e se odiavam. Neste tempo a região ainda não era chamada de Campina Grande, mas é exatamente a vista de quem vem do Oeste para o leste da região, de longe avista uma Campina Grande. O governador geral naquele período era Matias da Cunha que se mostrou insensível com as vidas dos índios e sensível aos interesses dos Brancos colonizadores e a eles dava sesmaria bastando à solicitante escrever a solicitação. Em 1694 Constantino morreu e Teodósio assumiu o seu lugar definitivamente como Capitão mor dos Cariris índios que a história nos aponta para uma destruição diária e por motivo de extermínio. Há casos na história que Teodósio fez aposta de quem matava mais e em outros casos fez teste da afiação de seu facão nos pescoços de índios Cariris já rendidos.


história dos indios da Paraíba
colonização de campina grande paraíba
indios cariris , arius
colonização da região da borborema

Um comentário:

  1. Alguém tem informa coes sobre os cariris do sertão do RN, pois segundo meus pais dizem que sou descendente deles que tinham aldeia nos meados de Campo Redondo,RN

    ResponderExcluir